Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Evandro José Coelho do Amaral

Evandro José Coelho do Amaral, Licenciado em Administração Pública pelo INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS SOCIAIS E RELAÇÕES INTERNACIONAIS (CIS).

Evandro José Coelho do Amaral, Licenciado em Administração Pública pelo INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS SOCIAIS E RELAÇÕES INTERNACIONAIS (CIS).

Evandro José Coelho do Amaral

10
Abr18

A UTILIZAÇÃO DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO (TIC) NAS ORGANIZAÇÕES


Evandro José Coelho do Amaral

A UTILIZAÇÃO DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO (TIC) NAS ORGANIZAÇÕES
THE USE OF INFORMATION AND COMMUNICATION TECHNOLOGIES (ICT) IN ORGANIZATIONS
NewPaper nº 37/2018

AMARAL, Evandro José Coelho do
GONFULO, Luís Adão

Clica aqui para ver na versão PDF

RESUMO

O intuito deste trabalho, tem como objectivo, conhecer como as organizações angolanas usam as tecnologias de informação e comunicação (TIC), como ferramenta para o melhoramento da gestão. Norteado pelo requisito da norma da APA – 6º edição. No primeiro período, foi apresentado o objectivo geral e específico, as variáveis, hipóteses, delimitação do trabalho, foi exposta a justificativa à escolha do tema, que dá-se ao facto do sector das tecnologias de informação e comunicação ser um sector emergente na República de Angola. Em seguida, foi apresentada a empresa Kanjaya, Lda, que é o objecto do estudo. Onde o resultado esperado: permitiu verificar como as organizações angolanas usam as tecnologias de informação e comunicação (TIC), como ferramenta para o melhoramento da gestão.

Palavras-chave: Tecnologia de Informação e Comunicação (TIC), Gestão e Angola.

 

ABSTRACT

The objective of this work is to know how Angolan organizations use information and communication technologies (ICT) as a tool for improving management. Guided by the requirement of the APA standard - 6th edition. In the first period, it was presented the general and specific objective, variables, hypotheses, delimitation of work, was exposed the justification to the choice of the subject, which gives to the fact that the information and communication technology sector is an emerging sector in the Republic of Angola. Then the company Kanjaya, Lda, was presented, which is the object of the study. Where the expected result: allowed to verify how the Angolan organizations use information and communication technologies (ICT), as a tool for the improvement of the management.

Key words: Information and Communication Technology (ICT), Management and Angola.

 

INTRODUÇÃO

O Presente trabalho aborda a utilização das tecnologias de informação e comunicação (TIC) nas organizações sendo um estudo de caso da empresa Kanjaya, Lda. Com a finalidade de conhecer como as organizações angolanas usam as tecnologias de informação e comunicação (TIC), como ferramenta para o melhoramento da gestão. Temos acompanhado como esse sector tem vindo a desenvolver muitos países, quer desenvolvidos e em via de desenvolvimento.

 

Nos dias de hoje, abriu-se mão a um sector da economia, o 4º sector da economia que é precisamente das TIC´S. Que também é uma das fontes de rendimento de vários países, porque essas tecnologias podem ser exportadas para aqueles países que não a possuem. E este sector é dinâmico, as tecnologias de séculos passados, nos dias actuais foram actualizadas, inovadas. “Com isso entende-se que a preparação das novas gerações para a plena inserção na sociedade moderna não pode ser feita usando os quadros culturais e os instrumentos tecnológicos do passado”, Ponte (1993, p. 56).

 

Actualmente a tecnologia está presente em todos os sectores da sociedade, é um componente social importante na vida moderna. E sem utilização das TIC´S, podemos dizer que estaríamos a nos comparar na época da idade da pedra, porque “o uso da tecnologia está além do ‘fazer melhor’, ‘fazer mais rápido’, trata-se de um ‘fazer diferente”, Rolkouski (2011, p. 102). A difusão das aplicações da tecnologia da informação e comunicação e sua popularização, a partir da última década, foi amplamente acelerada com a grande redução dos preços dos computadores e também de sua associação com os meios de comunicação. Esta integração favorecida pela internet e os serviços que esta oferece, possibilita, através da queda das barreiras geográficas, o acesso às informações que circulam em todo o planeta, onde por sua vez, as empresas estão cada vez mais dependentes das tecnologias da informação e comunicação (TIC). Para que elas mantenham-se competitivas, precisa-se utilizar ao máximo suas competências e disponibilidades tecnológicas.

 

Problema de estudo: temos visto que as organizações a nível mundial, têm por frequência utilizar as tecnologias de informação e comunicação (TIC), pelo seu grande avanço. Daí o interesse em realizar-se este estudo para melhor compreendermos como a empresa Kanjaya, Lda utiliza na maior parte das vezes as tecnologias de informação e comunicação (TIC), e darmos subsídios para a melhoria deste serviço. Para o desenvolvimento deste trabalho começamos com a seguinte pergunta de partida:

 

De que forma a empresa Kanjaya, Lda tem feito o uso das tecnologias de informação e comunicação (TIC), como ferramenta para o melhoramento da sua gestão?

 

Variável independente: utilização das tecnologias de informação e comunicação (TIC).

 

Variável dependente: O melhoramento da organização no que toca à eficiência e eficácia. Tendo em consideração a pergunta de partida, nos propusemos a formular os seguintes objectivos que servirão de bússola para a consolidação:

 

Objectivo geral - Conhecer como as organizações angolanas usam as tecnologias de informação e comunicação (TIC), como ferramenta para o melhoramento da gestão, estudo de caso empresa Kanjaya, Lda.

 

Objectivos específicos - Identificar como as organizações angolanas usam as tecnologias de informação e comunicação (TIC), como ferramenta para o melhoramento da gestão, estudo de caso empresa Kanjaya, Lda;

Verificar como as organizações angolanas usam as tecnologias de informação e comunicação (TIC), como ferramenta para o melhoramento da gestão, estudo de caso empresa Kanjaya, Lda;

 

Para a justificativa à escolha do tema, tendo em conta que o sector das tecnologias de informação e comunicação é um sector emergente na República de Angola, que perante o crescimento encontrado, verificou-se igualmente que este sector é importante no que diz respeito ao desenvolvimento sustentável e ao bem-estar da nossa população, permitindo igualmente um acesso mais democrático à informação e ao conhecimento, essencial nas sociedades modernas e no mundo global em que hoje vivemos. As organizações angolanas acompanham o mundo globalizante através das tecnologias de informação e comunicação (TIC), mas nem todas as TIC´S estão disponíveis.

 

O estudo delimitou-se na realização de um inquérito aos colaboradores da Empresa do estudo de caso empresa Kanjaya, Lda, localizado no Bairro Popular, na Rua Viçosa, nº 97 – Kilamba Kiaxi, através da aplicação de um questionário para a recolha de dados e dessa forma podermos perceber melhor se têm utlizado as tecnologias de informação e comunicação (TIC), para melhorar na produtividade da organização. Para o desenvolvimento deste trabalho, formulamos a seguinte hipótese:

 

H1- Empresa Kanjaya, Lda; usam as tecnologias de informação e comunicação (TIC), logo, como ferramenta para o melhoramento da gestão no que toca à Eficiência e Eficácia.
Metodologia

 

Para Prodanov & Freitas (2013, p. 14), “a metodologia é aplicação de procedimentos e técnicas que devem ser observados para construção do conhecimento, com o propósito de comprovar sua validade e utilidade nos diversos âmbitos da sociedade.” O presente trabalho será desenvolvido com base em recolhas bibliográficas associado ao método descritivo, artigos publicados na internet auxiliarão a realização da presente investigação.

 

O nosso trabalho será de natureza Qualitativa. De acordo Bonoma (1985, p. 207), "Quando um fenómeno é amplo e complexo, onde o corpo de conhecimentos existente é insuficiente para permitir a proposição de questões causais e quando um fenómeno não pode ser estudado fora do contexto no qual ele naturalmente ocorre". No nosso trabalho optamos nos seguintes métodos:

 

Método Indutivo, segundo Lakatos & Marconi (1992, p. 47), indução é um processo mental por intermédio do qual, partindo de dados particulares, suficientemente constatados, infere-se uma verdade geral ou universal, não contida nas partes examinadas. Portanto, o objectivo dos argumentos é levar a conclusões cujo conteúdo é muito mais amplo do que o das premissas nas quais se basearam. No nosso trabalho optamos por o método estudo de caso:

 

O Método Estudo de Caso, segundo Fachin (2006, p. 45), estudo de caso, este método é caracterizado por ser um estudo intensivo. No método estudo de caso, leva-se em consideração, principalmente, a compreensão, como um todo, do assunto investigado. Todos os aspectos do caso são investigados. Quando o estudo é intensivo, podem até aparecer relações que, de outra forma, não seriam descobertas. No nosso trabalho optaremos em utilizar as seguintes técnicas de recolha de dados:

 

A pesquisa bibliográfica é feita a partir do levantamento de referências teóricas já analisadas, e publicadas por meios escritos e electrónicos, como livros, artigos científicos, páginas de web sites, Fonseca (2002, p. 32).
Segundo Marconi & Lakatos (2002, p. 62), a “característica da pesquisa documental é que a fonte de colecta de dados está restrita a documentos, escritos ou não, constituindo o que se denomina de fontes primárias. Estas podem ser recolhidas no momento em que o facto ou fenómeno ocorre, ou depois.”

 

1.1. Definição de Conceitos
O presente capítulo abordará a definição dos conceitos que fundamentam o nosso trabalho, bem como outros conceitos indispensáveis para a sua compreensão.

1.1.1. Tecnologia de Informação e Comunicação
As tecnologias de informação e comunicação (TIC) referem-se a toda a tecnologia utilizada para lidar com as comunicações, incluindo sistemas de telefonia, Web sites, e áudio e transmissões de vídeo e dentro do contexto de negócio, teve um grande impacto no que tange as comunicações internas e externas de transformação, comercialização e dados, Graeml (2000).

 

Para Pacievitch (2017), TIC pode ser definida, como um conjunto de recursos tecnológicos, utilizados de forma integrada, com um objetivo comum. As TIC´S são utilizadas das mais diversas formas, na indústria (no processo de automação), no comércio (no gerenciamento, nas diversas formas de publicidade), no setor de investimentos (informação simultânea, comunicação imediata) e na educação (no processo de ensino aprendizagem, na Educação a Distância).

 

1.1.2. Organização
“Uma organização é uma ferramenta que as pessoas usam para coordenar suas acções e obter alguma coisa que desejam ou valorizam – ou seja, para atingir seus objectivos”, Jones (2010, p. 1).

 

Segundo Chiavenato (2005, p. 24), Organização é um conjunto de pessoas que actuam juntas em uma criteriosa divisão de trabalho para alcançar um propósito comum. As organizações são instrumentos sociais por meio dos quais muitas pessoas combinam seus esforços e trabalham juntas para atingir propósitos que isoladamente jamais poderiam fazê-lo.

 

Ainda para Chiavenato (2009, p. 8), “a organização é um sistema de actividades conscientemente coordenadas de duas ou mais pessoas. A cooperação entre elas é essencial para a existência da organização”.

 

1.2. Entrave para o Desenvolvimento do sector das Tecnologias de Informação e Comunicação
É de salientar que diversas áreas estão interligadas possuem uma dependência, no uso da corrente elétrica. Para Pinochet (2014, p. 109), em sua obra Tecnologia da Informação e Comunicação em um sumário intitula “Internet Tão essencial quanto a Energia Eléctrica” diz que No início do século XXI, a internet torna-se tão essencial quanto a energia eléctrica. Os celulares, assim como os smartphones são a porta para qualquer informação, a qualquer hora, de qualquer lugar. Lidar com o excesso de informações talvez seja uns dois grandes desafios do momento.

 

No 6º episódio intitulado Over Logging da 12ª temporada de South Park (programa semanal dos Estados Unidos, que reúne humor surreal e abrange diversos assuntos da actualidade), apresentou um cómico enredo no qual os habitantes da cidade quando acordam em um belo dia descobrem que não tem mais acesso à internet, e consequentemente, todos cidadãos entram em pânico em função da dependência que todos possuíam em suas actividades pessoais e profissionais com o apoio das redes. Instala-se um sentimento de desespero já que ninguém consegue viver sem estar conectado à rede. A situação pode ser compreendida como um hábito que foi incorporado e que também transforma e molda os nossos próprios paradigmas. Será que seria possível viver sem a internet? Como as pessoas faziam as coisas antes da internet? (Idem).

 

Segundo o (MTTI, 2010, p. 47), Sabe-se as dificuldades com que o país ainda se depara, e que têm constituído um entrave a um desenvolvimento mais rápido do sector das Tecnologias de Informação, tais como a existência de algumas infra-estruturas básicas ainda pouco desenvolvidas (sobretudo ao nível da rede de energia eléctrica) e o número reduzido das infra-estruturas de telecomunicações e de informação existentes (o que se reflecte, nomeadamente, no escasso número de cidadãos angolanos com acesso a computadores e à Internet).

 

Sem prejuízo das muitas melhorias que ainda há a fazer neste domínio, os problemas têm sido colmatados com o recurso a geradores que fornecem energia eléctrica às populações, quando a rede de distribuição eléctrica falha. Contudo, esta alternativa é insuficiente e está longe de ser a ideal, nomeadamente pelos custos acrescidos que representa, pelo que urge encontrar formas mais eficazes de solucionar o problema (p. 10).

 

1.3. TIC´S permitem fiscalização das acções do Governo
A utilização das tecnologias de informação e comunicação, permite a participação da sociedade no exercício da cidadania, fiscalização das acções do governo e sua transparência de actos administrativos, considerou o directo nacional da sociedade da informação e meteorologia, Miguel Cazevo.

 

Segundo cazevo que dissertava na 4º edição da expotic sobre o tema “o impacto das TIC como factor de desenvolvimento”, a utilização das TIC´S na administração pública do país tem registado progressos. As mudanças ocorridas nas últimas décadas, devem-se sobretudo aos avanços tecnologias e têm relevância nos sectores públicos e privados, bem como nos contextos social, político e económico.

 

Sublinhou que o crescimento económico, mediante investimento em tecnologia, cria um impacto em outros sectores como o bem-estar social por meio do aumento da competitividade melhores oportunidades de negócios e maiores possibilidades de emprego. Consideram que as TIC´S são ainda responsáveis pela melhorias dos serviços públicos oferecida das ao cidadão e o aperfeiçoamento dos processos de tomada de decisão, (IP- A Revista da Internet, 2015).

 

1.4. Tecnologia de Informação e Comunicação em Angola
Afirma Sabbag (2007), que o termo Tecnologia de Informação e Comunicação surgiu há cerca de dez anos atrás, em substituição à palavra informática. Representa a fusão dessa última com a telemática e com a robótica, ambas dominadas por computadores e as quais tiveram suas expectativas aumentadas em decorrência dessa fusão. Da mesma forma, o autor explica que o objectivo primordial da tecnologia de informação e comunicação não era mais somente gerir informação, mas sim conhecimento, o que provocou uma nova ruptura, devido aos estudos relacionados à inteligência artificial ligados à cognição. É o peopleware em voga, e o conhecimento humano como artifício imprescindível na era actual.

 

Segundo MTTI (2010, pp. 9-10), “na era emergente da sociedade de informação, é inegável o papel desempenhado pelas Tecnologias de Informação e Comunicação na aproximação dos povos e na transformação do mundo, cada vez mais, numa “aldeia global”. Com efeito, as Tecnologias de Informação e Comunicação são indispensáveis ao desenvolvimento sustentável de qualquer país, o que se comprova pelo enorme impacto que têm causado, quer a nível social, quer a nível económico, e ao qual o nosso país não é alheio.

 

Ainda o MTTI (2010, p. 10), acrescenta, tal como muitos outros países em vias de desenvolvimento, a República de Angola acredita que as Tecnologias de Informação e Comunicação desempenham um papel decisivo no combate à pobreza e na resolução de problemas básicos da sociedade no acesso à informação. Assim, a aposta nas Tecnologias de Informação e Comunicação deverá ser encarada não apenas como uma opção, no plano económico, mas sim como uma verdadeira estratégia de potenciação e desenvolvimento de outros sectores da actividade do país. Após ter saído, em 2002, de um período de guerra civil que durou cerca de 30 anos, a República Angola deparou-se com graves dificuldades ao nível das infra-estruturas mais básicas (de energia eléctrica, transportes, água e saneamento), inclusive ao nível das infra-estruturas de telecomunicações e de informação (tanto em hardware como em software).

 

Mesmo com essas dificuldades, devido a guerra que assolou a República de Angola, o Governo não parou e continua trabalhando para o melhoramento neste sector, concernente a Internet, ela chega à população sobretudo através de sistemas operados via satélite e através de operadores telefónicos. No entanto, o Governo está a instalar redes de fibra óptica, para que aquela seja acessível em todo o território nacional, a um preço mais baixo.

 

O Governo tem sido, de resto, um dos grandes fomentadores e investidores na transformação da República de Angola numa verdadeira sociedade de informação, tecnológica, onde conseguimos em nosso País a maior parte dos serviços Administrativo já estão todos informatizados, que se verifica em diversos sectores, a seguir as iniciativas, que o governo vem desenvolvendo:

A criação do Portal do Governo, onde estão disponibilizados diversos conteúdos e informações, de extrema utilidade para a população;

 

A criação de Planos de Acção, nomeadamente, do Plano de Acção para a Sociedade de Informação (PASI) e do Plano de Acção para a Governação Electrónica (PAGE), onde estão materializadas as estratégias aprovadas pelo Governo para o desenvolvimento das Tecnologias de Informação no país;

 

A elaboração do Projecto de Massificação das Tecnologias de Informação e Comunicação, que visa dar à população angolana a oportunidade de se inserir na sociedade de informação de uma forma construtiva, disponibilizando-lhes o acesso às Tecnologias de Informação e Comunicação e incentivando a utilização das mesmas em todo o território nacional;

 

A criação do Projecto de E-government, que permitirá a interligação futura de todo o aparelho do Estado, permitindo assim uma melhor organização e análise de dados, pela criação de condições para a partilha de informação e pela disponibilização do acesso a informações e serviços governamentais através da Internet, e que implicará a informatização de todas as instituições públicas do país;

 

A criação do Data Center (Centro Nacional de Dados de Angola), cujo projecto foi aprovado em finais de 2007, com o objectivo de criar, manter e integrar uma estrutura física de tecnologia, comportável com as exigências estratégicas e operacionais do Estado e com os níveis de organização de Sistema de Informação já atingidos, onde se possa manter de forma segura e confidencial, toda a informação crítica do Estado;

 

A criação do Parque Tecnológico, situado no Camama, que irá albergar diversas Empresas da área das tecnologias da informação e comunicação, e no qual Irão desenvolver-se, entre outras, as importantes actividades de pesquisa e Investigação no sector;

 

A realização anual do Fórum Internacional sobre Tecnologias da Informação, em Angola, cuja primeira edição se reporta ao ano de 2006, o qual se apresenta como um espaço de discussão e interacção, entre o Estado, a sociedade civil e as empresas privadas, sobre as políticas e projectos adoptados pelo Governo em matéria de tecnologias de informação e comunicação, MTTI (2010, pp. 11-12).

 

De acordo com Rocha (2007, p. 32), o Livro Branco sobre a Política das Telecomunicações em Angola, aprovado pelo Conselho de Ministros (abreviadamente denominado Livro Branco das Telecomunicações. No fundo, para Angola, consiga dominar este mercado, é essencial desenvolver-se uma capacidade nacional de investigação, nomeadamente através do estabelecimento de programas de cooperação e intercâmbio no domínio da investigação tecnológica com mais desenvolvimento, contando para tal como os conhecimentos de profissionais estrangeiros (docentes de instituições de ensino superior de outros países, profissionais estrangeiros que laborem em empresas internacionais do ramo), que se pretende que sejam transferidos para os profissionais nacionais e que os habilitem a desenvolver, com eficiência, o sector das tecnologias de informação e comunicação em Angola.

 

1.5. Utilização das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC)
Tabela nº 1 - Utilização das TIC´S pela Kanjaya, Lda

Ferramentas  (TIC)

Sim

Não

Sim %

Não %

Produto/Serviço online

2

 

18%

0%

Venda de Produto/Serviço online

1

2

9%

40%

Ferramentas  (TIC), disponibilizado pêlo governo de Angola

1

1

9%

20%

Portais do Governo de Angola

1

2

9%

40%

Serviços de ATM

1

 

9%

0%

Multicaixa ou Multibanco (Caixas electrónicas)

2

 

18%

0%

Pagamento de Imposto via online 

3

 

27%

0%

Total

11

5

100%

100%

         

 

Fonte: Próprio (Questionário)

 

Em relação ao Tabela nº 1 – Utilização das TIC´S pela Kanjaya, Lda, os inquiridos consideram que as TIC enquanto uma ferramenta de trabalho muito indispensável, porque permite uma maior eficiência e eficácia no desenvolvimento de qualquer actividade, obtendo assim os seguintes resultados percentual de sim: Pagamento de Imposto Via online (27 %), Multicaixa ou Multibanco (18 %), Serviço de ATM (9 %), Portais do Governo de Angola (9 %), Ferramentas (TIC), disponibilizado pêlo governo de Angola (9 %), Produto/Serviço online (9 %) e Venda de Produto/Serviço online (18 %).

 

Partilhar toda esta gama de recursos é algo que se tornou definitivamente indispensável e é a única maneira de gerir interdependências. Mas esta partilha só é possível se processar em redes de pessoas e de recursos e estas assentam, por sua vez, em infra-estruturas tecnológicas cada vez mais avançadas e sofisticadas e de utilização mais flexível, Lopes (1997, p. 167).

 

Entende-se que a empresa Kanjaya, Lda, ao permitir que os funcionários usarem os recursos Tecnológico, estará a capacitá-los com conhecimento individual ou em grupo, para as organizações ou para sociedade. De acordo com Pinochet (2014, p. 15), diz que, a integração destes recursos possibilita que exista um desenvolvimento humano tecnológico necessário para a capacitação que poderá representar competências específicas, sendo um diferencial para o conhecimento individual ou em grupo, para as organizações ou para a sociedade, e que envolve dentro de um cenário de competição, a vantagem competitiva.

 

Conclusão

A nossa pesquisa não é conclusiva, estará aberta para qualquer análise científica. Mediante a apresentação e interpretação dos dados obtidos, chegou-se as seguintes conclusões:

 

Os objectivos foram alcançados, mediante o estudo da utilização das tecnologias de informação e comunicação (TIC) na kanjaya, lda. o que permitiu verificar como a kanjaya, lda usam as tecnologias de informação e comunicação (TIC), como ferramenta para o melhoramento da Gestão;

 

Quanto a hipótese foi confirmada - empresa Kanjaya, Lda; usa as tecnologias de informação e comunicação (TIC), logo, como ferramenta para melhoramento da gestão no que toca à Eficiência e Eficácia.

 

Os inquiridos consideram que as TIC enquanto uma ferramenta de trabalho muito indispensável, porque permite uma maior eficiência e eficácia no desenvolvimento de qualquer actividade, obtendo assim os seguintes resultados percentual de sim: Pagamento de Imposto Via online (27 %), Multicaixa ou Multibanco (18 %), Serviço de ATM (9 %), Portais do Governo de Angola (9 %), Ferramentas (TIC), disponibilizado pelo governo de Angola (9 %), Produto/Serviço online (9 %) e Venda de Produto/Serviço online (18 %).

 

Tendo em conta a complexidade da pergunta de partida, afirmamos que foi respondida, tendo em conta a confirmação da hipótese que a empresa Kanjaya, Lda; usa as tecnologias de informação e comunicação (TIC), logo, como ferramenta para melhoramento da gestão no que toca à eficiência e eficácia.

 

Os Colaboradores da Kanjaya, Lda, possuem habilitações académicas do ensino superior, as mesmas, são as exigidas para a função que desempenham na empresa. Este trabalho de conclusão de curso verificou a utilização das tecnologias de informação e comunicação (TIC), pensamos que o uso das TIC´S não são uma necessidade, mas sim uma opção por parte dos particulares e empresas.

 

Referências Bibliográficas

Bonoma, T. V. (May de 1985). Case Research in Marketing: Opportunities, Problems, and Process. Journal of Marketing Research, Vol XXII.
Chiavenato, I. (2005). Comportamento Organizacional: A Dinâmica do Sucesso das Organizações (2ª ed.). Rio de Janeiro: Elsevier.
Chiavenato, I. (2009). Recursos Humanos:O Capital Humano nas Organizações (9ª ed.). Rio de Janeiro: Elsevier.
Fachin, O. (2006). Fundamentos de Metodologia (5ª ed.). São Paulo: Saraiva.
Fonseca, J. J. (2002). Metodologia da pesquisa científica . Fortaleza: UEC.
Graeml, A. R. (2000). Sistemas de Informação: o Alinhamento da Estratégia de TI Com a Estratégia Corporativa. São Paulo: Atlas.
IP- A Revista da Internet. (2015). Crimes Informáticos: Alojamento em DataCenter para o Mercado Empresarial. Luanda: Revista da Internet.
Jones, G. R. (2010). Teoria das Organizações (6ª ed.). (L. Pauleti, & D. Vieira, Trads.) São Paulo: Pearson Education do Brasil.
Lakatos, E. M., & Marconi, M. A. (1992). Metodologia Científica (2º ed.). São Paulo: Atlas.
Lopes, M. J. (1997). Sistemas de Informação para a Gestão: Conceitos e Evolução. Lisboa: Universidade Aberta.
Marconi, M. A., & Lakatos, E. M. (2002). Técnicas de Pesquisa: Planejamento e Execução de Pesquisas, Amostragens e Técnicas de Pesquisas, Elaboração, Análise e Interpretação de Dados (5ª ed.). São Paulo: Atlas.
MTTI. (2010). Tecnologia de Informação e Comunicação em Angola: Estudo Prévios à necessidade de implementação de medidas de desenvolvimento e promoção da indústria nacional do sector das TIC em Angola – A Industria das TIC em Angola. Luanda: Ministério das Telecomunicações e Tecnologia de Informação. Obtido em 27 de Abril de 2017, de mediatecas.ao/wp-content/uploads/2012/05/Industria_TIC_Nacional.pdf
Pacievitch, T. (2017). Tecnologia da Informação e Comunicação. infoescola. Obtido em 29 de Abril de 2017, de http://www.infoescola.com/informatica/tecnologia-da-informacao-e-comunicacao/
Pinochet, L. H. (2014). Tecnologia de Informação e Comunicação. São Paulo: Campus.
Ponte, J. P. (1993). Os professores e as Novas Tecnologias: Desafios Profissionais e Experiências de Formação. Informática e Educação.
Rocha, J. (2007). Livro Branco das Telecomunicações (Versão Final. 6ª ed.). Luanda.
Rolkouski, E. (2011). Tecnologias no Ensino de Matemática. Curitiba: Ibpex.
Sabbag, P. Y. (2007). Espirais do Conhecimento: Ativando Indivíduos, Grupos e Organizações. São Paulo: Saraiva.

Este artigo não é o completo, é uma parte da pesquisa, os interessados para obterem o trabalho final de 99 páginas, devem enviar um email para: evandro.amaral2015@hotmail.com ou consultar os seguintes sites:

• https://sites.google.com/site/paginadoevandroamaral/
• http://evandroamaral.blogs.sapo.ao/

1 comentário

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Compre produtos e Ganhe dinheiro na FM WORLD

https://shop-uk.fmworld.com/partner/9193299

Links

  •  
  • Poemas

    Revistas

    Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D